Contato

Endereço:
Rua Nilo Peçanha
754, sala 04, Bom Retiro, CEP 80520-176

Curitiba/PR

Fones:

(41) 4101.1470
(41) 99899.1470
(WhatsApp)

Oral Premium: 
CLM - PR 3892
Responsável Técnico: 
Dr André Vivan Garcia
CD Responsável: 

CRO - PR 20143

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram

ESPECIALIDADES

 

Ortodontia

Mal posicionamento dentário pode trazer problemas não só estéticos mas também funcionais (mastigatórios). Além disso, dentes apinhados podem causar dificuldade na higienização, o que contribui para o desenvolvimento da doença periodontal (doenças nos tecidos que suportam  o dente), bem como cáries e outros problemas dentários. Também causam um estresse adicional aos músculos de mastigação que pode levar a dores de cabeça, síndrome da ATM e dores na região do pescoço, dos ombros e das costas.

Não existe idade mínima para ser iniciado o tratamento ortodôntico, mas recomenda-se que as crianças sejam avaliadas pelo ortodontista a partir dos 6 anos ou no momento que for detectado qualquer anomalia de posicionamento dentário. A escolha do aparelho a ser usado dependerá do tipo de má oclusão a ser corrigida e da idade do paciente.

Existem duas fases de tratamento ortodôntico: a fase interceptativa e a corretiva.

Fase interceptativa:

Essa fase inicia-se na infância, com aproximadamente 6 anos. É um período que antecede à colocação do aparelho fixo e visa interceptar o problema precocemente. Geralmente nessa etapa são utilizados aparelhos intrabucais removíveis, de formas variadas conforme o problema a ser solucionado. Além desses, também se podem indicar aparelhos extrabucais de ação ortopédica que influenciam no crescimento das bases ósseas.

 

Fase corretiva:

Essa fase envolve as dentições mista e permanente e visa corrigir problemas de desalinhamento dentário, falta ou excesso de espaços assim como a adequação de espaços para próteses e implantes. O tipo de má oclusão é o que vai determinar qual o procedimento ortodôntico mais adequado e eficaz, buscando sempre simplicidade de técnica e brevidade do tratamento.

 

Tratamento orto-cirúrgico: Há casos na ortodontia que além dos dentes estarem mal posicionados, os pacientes apresentam problemas nas bases ósseas, ocorrendo desarmonias ou discrepâncias entre o tamanho da maxila e da mandíbula, comprometendo a estética facial. Esses casos requerem um tratamento combinado entre a Ortodontia e a Cirurgia Ortognática, que se divide basicamente em três fases:

 

1. Preparo Ortodôntico: correção das compensações dentárias, o paciente inicia o tratamento com aparelho fixo para alinhar os dentes.

 

2. Fase Cirúrgica: com os dentes em posições adequadas, a cirurgia é realizada, colocando as bases ósseas na posição correta.

 

3. Finalização Ortodôntica: fase de acabamento, em que são feitos os ajustes finais nas posições dentárias (coordenação inter-arcos).

 

Mini-implantes: Acessórios que auxiliam na movimentação dentária, evitando a ocorrência de movimentação dentária indesejável, facilitando e diminuindo o tempo de tratamento.

É importante ressaltar que o tratamento ortodôntico contribui favoravelmente na auto estima do paciente.

 

Disponibilizamos Aparelhos Ortodônticos Convencionais, Ortodônticos Estéticos, Autoligados e Mini-implantes.

 

Odontopediatria

Esta especialidade envolve diferentes tratamentos preventivos e curativos. A conscientização dos pais sobre as maneiras corretas de higienização oral, hábitos alimentares e de vida, compatíveis com a idade de seus filhos (desde bebê até adolescentes) é parte integrante do tratamento odontopediátrico. A criança que tem a saúde bucal supervisionada por um especialista tem grandes chances de ser uma criança e também um adulto livre de cáries. Os cuidados com a saúde bucal começam desde cedo, com o incentivo a amamentação natural para o bom desenvolvimento da cavidade bucal e com os cuidados com os dentes de leite.

Os dentes de leite também fazem parte da fala e são essenciais para alguns fonemas. Além disso, eles são os responsáveis por guardar o espaço para os dentes permanentes e guiar sua irrupção. A perda precoce dos dentes de leite causa desequilíbrio neste sistema trazendo consequências na mastigação, fala, posição dos dentes e também na estética do sorriso dos pequenos pacientes.

 

Endodontia

Popularmente, endodontia também é conhecida como tratamento de canal. O tratamento consiste na remoção do tecido mole (polpa) que se encontra na parte interna (canal) do dente e pode estar vivo, sadio, inflamado, infectado ou necrosado (morto). 

A Endodontia é provavelmente a especialidade que resolve a maioria dos casos de dor de dente na odontologia, sendo assim um tratamento extremamente efetivo e confiável.

Muitas vezes a endodontia se faz necessária também antes de procedimentos restauradores, tais como alguns tipos de próteses dentárias ou mesmo restaurações.

A Endodontia moderna faz vasto uso das mais avançadas técnicas de anestesias e analgesias, cessando uma das piores dores que o ser humano pode sentir, a dor dentária.

 

Prótese

Lesões de cárie extensa e fraturas dentais amplas, muitas vezes impossibilitam um tratamento mais conservador, sendo necessário reproduzir a forma anatômica de um dente artificialmente. Esses dentes artificiais são confeccionados em laboratórios especializados com o emprego de materiais altamente estéticos e duráveis. Hoje, com o avanço da ciência e tecnologia, existe a possibilidade de se confeccionar essas próteses com sistemas CAD/CAM. Através desse sistema, é possível gerar um desenho gráfico de um dente. As coordenadas gráficas desse desenho são transferidas para uma máquina (CNC) capaz de usinar um bloco cerâmico, por exemplo, e reproduzindo fielmente o modelo criado no computador.

As próteses podem ser fixas ou removíveis, unitárias ou múltiplas, dependendo da necessidade de cada caso.

 

Periodontia

O acúmulo de placa bacteriana (resíduo alimentar + saliva + bactéria) nos dentes pode gerar inflamações na gengiva. Esse processo inflamatório provoca o sangramento gengival, e quando não tratado, evolui para uma doença denominada periodontite, onde há a destruição de estrutura óssea e ligamentar, podendo levar a falência de todo o sistema de sustentação do dente e, consequentemente, a perda do mesmo. Essa doença é uma das principais causadoras do mau hálito.

A periodontia também pode ser aplicada em procedimentos estéticos. Os sorrisos gengivais são alterações estéticas caracterizadas pela exibição excessiva da gengiva durante o sorriso. Um sorriso considerado bonito e atraente, envolve o equilíbrio entre dentes, gengiva e lábios, e existem técnicas específicas para corrigir essa composição, tornando o sorriso mais harmonioso e agradável. Outra situação que pode ser corrigida com a periodontia são as recessões gengivais, que além de provocar sensibilidade nas raízes que são expostas, também exibem um desnivelamento dentário ao sorrir, dando a percepção de que um determinado dente está mais comprido. Esse defeito pode ser corrigido com técnicas de enxerto gengival.

 

Dentística e Odontologia Estética

Odontologia estética é reproduzir restaurações com a cor, forma e textura semelhantes aos dentes naturais. É a arte de imitar a natureza.

Clareamento dental, facetas, lentes de contato em cerâmicas e restaurações em compósitos são as principais atividades desenvolvidas nesse ramo da odontologia.

As facetas e lentes de contato são laminados cerâmicos ultrafinos, que exigem pouco ou nenhum desgaste (de acordo com cada caso) da estrutura dentária para a realização desses trabalhos. A sensibilidade visual, experiência, coleta de dados, troca de informação com o técnico em laboratório, dentista e paciente, são elementos fundamentais para o sucesso dessa modalidade de tratamento. Esses laminados cerâmicos tem a finalidade de corrigir a forma defeituosa de um ou mais dentes, dar uniformidade e harmonia no sorriso, fechar diastemas (espaço entre os dentes).

 

Implantodontia

A introdução dos implantes na odontologia possibilitou a reabilitação de áreas edêntulas (ausência de dente), que antes só era possível com próteses removíveis ou próteses fixas, tendo que desgastar dentes hígidos (saudáveis) para tal fixação. Esses cilindros de titânio possuem medidas e geometria variadas para se adequar a cada caso. Em algumas situações, devido a grande reabsorção óssea, são necessários enxertos de tecido ósseo e às vezes gengival, para viabilizar a instalação dos implantes e dar estética e previsibilidade no tratamento a longo prazo.